sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Projeto Ondulações

Como resultado do tratamento correto, minha vontade de manter o equilíbrio e principalmente as beneficies do Deus Trino e misericordioso eu, apesar de ser portadora de transtorno bipolar, consigo hoje alcançar realizações antes desconhecidas. Grande exemplo disto é o Projeto Ondulações. Conheçam um pouco de sua origem.

O Portal do Poeta Brasileiro é um projeto idealizado pela escritora Aline Romariz com a finalidade de reunir, em um só local (portadopoetabrasileiro.blogspot.com.br), poetas e escritores (com livros publicados ou não) de todo o país. Iniciou suas atividades no ano de 2009. Desde então, organiza os Saraus mensais, como uma forma de confraternização entre seus integrantes, além dos encontros anuais em Bienais e Feiras de livros e literatura (que já contam com a presença de poetas do Brasil todo). Hoje possui mais de 5000 poetas cadastrados em sua página no facebook (https://www.facebook.com/portaldopoetabrasileiro2?fref=ts).

Em abril de 2011, a Editora Iluminatta foi fundada a fim de publicar seus poetas em antologias e livros de pequenas tiragens, alternativa acessível para autores iniciantes.

No dia 15 de dezembro de 2012 houve a cerimônia de formação e posse dos membros da Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro, da qual sou membro, ocupando a cadeira 06.



ACADEMIA NACIONAL DE LETRAS DO PORTAL DO POETA BRASILEIRO - ANLPPB
 
A Academia é presidida pela escritora Aline Romariz, incansável defensora da divulgação da poesia, e da luta pela valorização do poeta vivo.
Desde sua formação, muitos projetos de incentivo à leitura, poesia, interação poeta-escritor/leitor e tantos outros foram apresentados. Dentre eles, encontra-se o Projeto “Ondulações” idealizado e coordenado por mim.


PROJETO ONDULAÇÕES
“INTERAGINDO COM A DIVERSIDADE”
Coordenação Teresa Azevedo
Há nestes jardins uma grande diversidade de cores e néctares. Surgem de todos os cantos as abelhas, cada qual com seu próprio mel – belo, impactante.

Objetivo Geral:
Transformar vidas através da arte.

Objetivos Específicos:
Melhorar a qualidade de vida dos assistidos;
Disseminar a poesia e outras formas de arte;
Mostrar a crianças, jovens e adultos de quaisquer classes sociais, clinicamente saudáveis ou não, livres ou presos de alguma forma, a repensarem suas vidas através da poesia e, desta maneira, utilizarem a arte como processo terapêutico. A cada participante será, ainda, sugerido o compartilhamento de sua experiência;
Preparar facilitadores que possam encabeçar o projeto na comunidade já assistida;
Contemplar com bibliotecas comunitárias as comunidades que estiverem aptas.
A poesia será levada a pessoas de diversos perfis – crianças em orfanatos, idosos em Casas de Repouso de curta ou longa duração, pacientes em clínicas de saúde mental e hospitais, moradores de comunidades carentes, pessoas institucionalizadas em presídios, etc – com o objetivo de expandir o alcance das formas de arte, promover a melhoria da qualidade de vida e ampliar horizontes dos assistidos, colaborar para uma sociedade melhor, além de disseminar a cultura e, desta forma, valorizar os artistas vivos.
Buscamos a valorização do poeta vivo e a disseminação da poesia de forma real, unidos em um único ideal: ocupar nosso espaço na sociedade enquanto poetas vivos.

Sendo o cronograma de final de ano o seguinte para o que conto com a sua participação:




·         02/12/2014 – 14:30h - Casa de Repouso Pousada da Maturidade Jardim Pauliceia – Rua Oswaldo Oscar Bartheison nº 313 – Jardim Pauliceia – Campinas/SP.

·         09/12/2014 – 14:30h - Casa de Repouso Pousada da Maturidade Jardim Pauliceia – Rua Mendonça nº 46 – Jardim Londres – Campinas/SP.

·         15/12/2014 –15h – Centro Corsini – O evento acontecerá no espaço cultural da Companha CENARTE – Av. João Jorge nº 166 – Vila Industrial– Campinas/SP.

·         18/12/2014 – 14H – Hospital Candido Ferreira – Rua Antonio Prado nº 430 – Souzas – Campinas/SP.

·         19/12/2014 –15h – Lar da Criança Feliz – O evento acontecerá no espaço cultural da Companha CENARTE – Av. João Jorge nº 166 – Vila Industrial– Campinas/SP.

·         23/12/2014 - 14:30h - Hospedagem de Idosos Nossa Senhora Aparecida, Av. Abolição nº 2432 - Campinas/SP (sentido Valinhos próximo ao Extra) na Festa de final de ano.

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Eu



“Eu”
Fragmentada, imprevisível,
Inconstante, preguiçosa,
Eufórica, depressiva,
Indefinida, nítida,
Aqui para ser descoberta.
Oculta em medos por proteção.
Cantada, dançada, falida, cansada.
Em algum tempo: linear, fora de mim eu sei...

No espaço longínquo, quase inacessível.



Não desistir do tratamento: visitas mensais ao Psiquiatra, terapia toda semana e tomar a medicação tem me ajudado muitíssimo. Claro que ás vezes tenho as oscilações de humor, mas aprendi a detecta-las e voltar ao prumo. Recomendo a todos aqueles que tenham qualquer tipo de transtorno que façam o mesmo.

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Impotência e fragilidade



Sinto-me assim - impotente e frágil, medrosa e encolhida em meus próprios medos, não os reais, mais os meus.

Observação: retardei a dosagem diária de minha medicação provavelmente agora que tomei e conversei com alguém que amo vou melhorar...

Espero em breve pular de alegria.





domingo, 24 de agosto de 2014

Tempos difíceis

Sinto falta de fazer os relatos dos meus sentimentos e vivências diárias como antes.
São tempos de tantos afazeres e cuidados com meu pais que está inválido e tantas outras coisas que mal consigo trabalhar nas minhas poesias, livros, ir aos eventos, etc...
Anseio pela hora que as coisas melhorem e eu possa retomar meus depoimentos.

ABRASME PARTICIPA DE SEMANA DA SAÚDE MENTAL EM UBERABA

ABRASME PARTICIPA DE SEMANA DA SAÚDE MENTAL EM UBERABA

21/08/2014
O Triângulo Mineiro irá comemorar o Dia d@ Psicólog@ com uma série de atividades em Uberaba e Uberlândia, que vão do dia 27 a 29 de agosto.
 
Em Uberaba, o CRP-MG convida as psicólogas e psicólogos do município e região para o evento Saúde Mental na Rua, que terá como tema “Saúde Mental e Inclusão Social – Uma Construção da Rede de Saúde Mental e a Sociedade: Intervenção e Ocupação do Espaço Urbano”. Com concentração às 8h na Praça Rui Barbosa, a atividade acontece até às 15h30 e é aberta a todos os interessados.
 
No dia 28, a cidade recebe um evento no Cine Teatro Vera Cruz (Rua São Benedito, nº 270), que reúne exposição dos alunos da Escola de Artes Dr. Odilon Fernandes, mesas sobre a “Política de Saúde Mental e a Rede de Uberaba” e a “Conjuntura Atual de implantação das Políticas Publicas sobre Drogas”, e conferência que discutirá “A loucura ‘bem sucedida’ e a ‘loucura fracassada’”. A atividade é gratuita e será realizada de 8h às 18h.
 
Em Uberlândia, as atividades comemorativas se concentram no dia 29, com duas sessões de exibição do documentário “Quando sinto que já sei”, às 9h e às 19h30, na Faculdade Pitágoras (Avenida dos Vinhedos, nº 1200, Morada da Colina). No mesmo dia, às 16h, será realizada uma mesa sobre “Conjuntura Atual de implantação das Políticas Publicas sobre Drogas”, no auditório Cícero Diniz (Centro Administrativo Virgílio Galassi – Bloco 1 – Av. Anselmo Alves dos Santos, n 600, Santa Mônica).
 
Confira abaixo a programação e mais informações. Participe!
 
PROGRAMAÇÃO SUBSEDE TRIÂNGULO
 
UBERABA
 
27/08 (quarta-feira)
 
8h00 às 15h30 - Saúde Mental na Rua - concentração na Praça Rui Barbosa
 
“Saúde Mental e Inclusão Social – Uma Construção da Rede de Saúde Mental e a Sociedade: Intervenção e Ocupação do Espaço Urbano”
 
Atividades
 
- Bateria da UAI (Unidade de Atenção ao Idoso)
 
- Apresentação musical do Conservatório Estadual de Música Renato Frateschi
 
- Esquizodrama “Espaço público como território de Solidariedade”
 
- Fundação Gregório Baremblitt – CAPS Maria Boneca
 
- Música e Roda de Terapia Comunitária com psicólogas da Rede Nelma Lice Diniz e Rosana Alckmin
 
- Prestação de serviços em Atenção Básica em Saúde: aferição de glicemia, pressão arterial
 
- CTA – Centro de Testagem e Aconselhamento: distribuição de preservativos, educação sexual e testes de DST's
 
- SEDS – Oficinas realizadas pelos CRAS
 
28/08/2014 (quinta-feira)
 
8h00 às 18h00 - Exposição de telas e trabalhos dos alunos da Escola de Artes Dr. Odilon Fernandes
 
09h00 - Mesa solene de abertura
 
10h00 - Mesa: “Política de Saúde Mental e a Rede de Uberaba”
 
Palestrantes:
 
Maria de Fátima Oliveira – Fundação Gregório Baremblitt
 
Sérgio Henrique Marçal – Diretor da Diretoria de Atenção Psicossocial da SMS/Uberaba
 
Odila Maria Fernandes Braga – conselheira do Conselho Regional de Psicologia – Minas Gerais
 
Eliane Gonçalves Cordeiro – Diretora do Curso de Psicologia da UNIUBE (Universidade de Uberaba)
 
Conceição Aparecida Serraglia – Diretora do Curso de Psicologia da UFTM(Universidade Federal do Triangulo Mineiro)
 
Roberto Tykannori Kinoshita– Coordenador de Saúde Mental, Álcool e Drogas do Ministério da Saúde
 
Coordenação da mesa: Sérgio Henrique Marçal
 
14h00 - Conferência: A loucura “bem sucedida” e a “loucura fracassada”
 
Conferencista:
 
Gregório Franklin Baremblitt – Médico, psiquiatra, psicoterapeuta, professor, pesquisador, analista e interventor institucional, esquizoanalista, esquizodramatista e escritor em diversos países de América Latina e Europa.
 
Coordenação da mesa: Maria de Fátima Oliveira - Coordenadora do CAPS Maria Boneca
 
16h00 - Mesa: “Conjuntura Atual de implantação das Políticas Publicas sobre Drogas”
 
Palestrantes:
 
Alex Reinecke Alverga – Doutor em Psicologia Social. Assessor de Gabinete da Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos da Secretaria Nacional de Direitos Humanos da Presidência da República.
 
Fabio Belloni – Mestre em Psicologia Social. Professor Universitário do Centro Universitário Ítalo Brasileiro. Diretor da Associação Brasileira de Saúde Mental – ABRASME. Pesquisador dos Laboratórios Laps da Ensp/Fiocruz e do Lasamec da Faculdade de Saúde Pública/USP.
 
Sybelle Miranzi – Doutora em Enfermagem em Saúde Coletiva pela USP. Professora associada da UFTM. Coordenadora do CRR - Centro Regional de Referência para formação permanente dos profissionais que atuam na assistência aos usuários de crack e outras drogas e seus familiares – UFTM.
 
Simone Maia (CRP-04/9115) – Psicóloga. Especialista em Saúde Mental e Gestão da Clínica pelo Instituto Sírio Libanês. Possui ampla atuação no segmento da Dependência Química e atualmente é coordenadora do CAPS AD III de Uberaba.
 
Adacély Ferreira (CRP-04/4147) – Psicóloga com formação em Dependência Química pela Consultoria Contexto no Rio de Janeiro. Atualmente é Ponto Focal do Programa Crack, é Possível Vencer do Governo Federal em Uberaba e Diretora de Modalidades de Atenção no mesmo Programa no Município com ampla atuação no segmento da Dependência Química.
 
Coordenação da mesa: Odila Maria Fernandes Braga – conselheira do Conselho Regional de Psicologia - Minas Gerais.
 
Local: Cine Teatro Vera Cruz (Rua São Benedito, nº 270 – Uberaba/MG)
 
Informações: (34) 3331-2797
 
UBERLÂNDIA
 
29/08/2014 (sexta-feira)
 
09h00 - Exibição do documentário “Quando sinto que já sei”
 
Convidado: Antonio Sagrado Lovato
 
Local: Faculdade Pitágoras (Avenida dos Vinhedos, nº 1200, Morada da Colina - Uberlândia/MG)
 
 
 
Inscrições gratuitas! Vagas limitadas!
 
14h00 - Mesa: “Conjuntura Atual de implantação das Políticas Publicas sobre Drogas”
 
Palestrantes:
 
Alex Reinecke Alverga – Doutor em Psicologia Social. Assessor de Gabinete da Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos da Secretaria Nacional de Direitos Humanos da Presidência da República.
 
Fabio Belloni – Mestre em Psicologia Social. Professor Universitário do Centro Universitário Ítalo Brasileiro. Diretor da Associação Brasileira de Saúde Mental – ABRASME. Pesquisador dos Laboratórios Laps da Ensp/Fiocruz e do Lasamec da Faculdade de Saúde Pública/USP.
 
Local: Auditório Cícero Diniz (Centro Administrativo Virgílio Galassi – Bloco 1 – Av. Anselmo Alves dos Santos, n 600, Santa Mônica – Uberlândia/MG)
 
19h30 - Exibição do documentário “Quando sinto que já sei”
 
Convidado: Antonio Sagrado Lovato
 
Local: Faculdade Pitágoras (Avenida dos Vinhedos, nº 1200, Morada da Colina -Uberlândia/MG)

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Miscelânea poética



Miscelânia poética

Cambaleante.
Espectro calvo.
Chuvisco em névoa.
Frio, vento e escuridão.
Os conhaques guela abaixo.
Esquenta e sorri, tolo.
Verborralgia desconexa.
Espirro de idéias.
Idéias?
De
Ecos
Internos,
Aflorados,
Sem sens O
                      POSTO S
                                   ENIS


Poesia de Teresa Azevedo




Pintura de Paul Klee - pintor e poeta suíço naturalizado alemão. O seu estilo, grandemente individual, foi influenciado por várias tendências artísticas diferentes, incluindo o expressionismo, cubismo, e surrealismo.

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Transtornos mentais - Fonte: http://www.fenix.org.br/Desafiando_os_Preconceitos.pdf

Transtornos mentais: Desafiando os Preconceitos

Durante séculos as pessoas com sofrimento mental foram afastadas do resto da sociedade, algumas vezes encarcerados, em condições precárias, sem direito a se manifestar na condução de suas vidas. Hoje em dia, as atitudes negativas os afastam da sociedade de maneiras mais sutis, mas com a mesma efetividade.

Transtornos mentais afetam a todos
Você provavelmente conhece alguém que tem problemas mentais. Transtornos mentais como a ansiedade, depressão, distúrbios alimentares, mau uso de drogas e álcool, demência e esquizofrenia, pode afetar qualquer pessoa em qualquer época da sua vida. Na realidade, elas podem causar mais sofrimento e incapacidade que qualquer outro tipo de problema de saúde.
Apesar disso, pessoas com essas condições, muitas vezes atraem medo, hostilidade e desaprovação em vez de compaixão, apoio e compreensão. Tais reações não somente influem para que se sintam isolados e infelizes, como são impedimentos para que busquem ajuda  efetiva e tratamento.
Neste e em outros textos, nós iremos destacar os efeitos danosos das atitudes negativas em relação aos transtornos mentais e forneceremos informações a respeito do que conhecemos a respeito delas. Esperamos colaborar para que venhas a pensar de forma diferente sobre os transtornos mentais, e a afastar alguns mitos e prejuízos que os cercam
A Associação Brasileira de Psiquiatria aproveita a experiência do “The Royal College of Psychiatrists’ da Inglaterra e do National Institute of Mental Health dos Estados Unidos da América para trazer ao conhecimento de todos nteressados material informativo a respeito da
Doença Mental ou Transtornos Mentais, a Saúde mental é componente chave de uma vida saudável.

O que é “doença mental?”
O termo “doença mental” ou transtorno mental, engloba um amplo espectro de condições que afetam a mente.

Doença mental provoca sintomas tais como:
desconforto emocional, distúrbio de conduta e
enfraquecimento da memória.
Algumas vezes, doenças em outras partes do corpo afetam a mente;
outras vezes, desconfortos, escondidos no fundo da mente pode desencadear outras doenças do corpo ou produzir sintomas somáticos.

O que causa a “doença mental?”
Um grande espectro de fatores – nosso mapa genético, química cerebral, aspectos do nosso estilo de vida. Acontecimentos que nos acometeram no passado e nossas relações com as outras pessoas – participam de alguma forma. Seja qual for a causa, a pessoa que desenvolve a “doença mental” ou o transtorno mental, muitas vezes se sente em sofrimento, desesperançada e incapaz de levar sua vida na sua plenitude.

Existe tratamento para a “doença mental?”
Uma notícia muito boa é que existem muitos tratamentos efetivos para a doença mental. Eles podem incluir medicamentos e outros tratamentos físicos, ou tratamentos pela fala (Psicoterapias) de várias espécies, aconselhamento e/ou apoio no dia a dia da vida em diferentes formas. Diferentes profissionais, médicos e não médicos, podem estar envolvidos na assistência da pessoa que está mentalmente enferma: clínico geral, psiquiatras, psicoterapeutas, conselheiros, assistentes sociais e grupos de apoio voluntários A Psiquiatria trabalha no diagnóstico e permite o conhecimento e previsão do curso natural da doença, e a escolha do tratamento mais adequado.

O que faz o psiquiatra?
Os psiquiatras são médicos que se especializam no diagnóstico e tratamento das doenças mentais ou transtornos mentais. O Psiquiatra examina os inúmeros fatores que podem ter contribuído para que alguém se torne mentalmente doente e trata de planejar o tratamento mais adequado para as necessidades individuais do/da paciente. Os Psiquiatras estão qualificados para fornecer uma grande variedade de tratamentos, incluindo medicação com drogas e/ou diferentes tipos de psicoterapia, muitas vezes trabalha em parceria com outros profissionais da saúde. Os Psiquiatras também estão autorizados, pela lei, a recomendar internamento compulsório numa unidade psiquiátrica. Esse passo somente é dado no interesse da saúde de alguém ou para a proteção de terceiros, isso se sua condição for muito grave e a pessoa não aceitar conselho médico adequado. Esse tipo de medida necessária, e em casos isolados, criou para o psiquiatra o desconforto de ser visto como repressor, em vez de um médico interessado no bem estar do seu paciente, familiares e na sociedade.

Como a Psiquiatria ajuda?
As causas do sofrimento mental são complexas e os psiquiatras não tem todas as respostas. Como médicos, eles sabem que alguns aspectos da doença mental, tais como ansiedade, desespero e sentimentos suicidas, nem sempre são fáceis de serem eliminados. Nós vamos examinar algumas das limitações do nosso conhecimento e habilidade. Entretanto, nós acreditamos que, oferecendo uma abordagem sistemática e científica, a psiquiatria tem um importante papel a desempenhar, envolvendo tanto o tratamento físico como o psicológico para aliviar o sofrimentos das pessoas com doença mental.

O que é Estigma?
 Na antiga Grécia, sinais corporais ou “stigmata” feitos por cortes ou queimaduras no corpo, marcavam as pessoas como diferentes. Pessoas com doença mental de há muito não são marcadas no corpo, mas atitudes críticas e prejudiciais podem ser tão danosas quanto as marcas corporais. Você apenas precisa abrir um jornal, ligar a TV ou ir ao cinema para perceber tais atitudes. Enquanto a mídia não aceitar essas queixa pelas percepções negativas, toda vez que um programa, artigo ou filme retrata um estereótipo ou falha em esclarecer um mal entendido sobre doença mental, ela auxilia na manutenção de mitos.

Como surgem os Estigmas?
Os Estigmas podem surgir por diferentes caminhos. As pessoas com sofrimento mental podem agir diferentemente: uma pessoa deprimida pode se apresentar triste ou apática; alguém na fase maníaca da doença bipolar pode parecer exageradamente feliz ou irritável. Outros fatores como, ser visto visitando um psiquiatra ou um hospital ou clínica pode marcar alguém como “mental” ou psiquiátrico.

Por que isso é importante?
O problema é que quando alguém é marcado como diferente, é difícil para ele ser aceito, não importa o quanto ele tente. Eles não conseguem afastar o estigma e o resultado disso é que perdem a confiança em si mesmos. Com o tempo, começam a se sentir como estranhos e que não se enquadram na vida. É chegado o tempo de mudar a mente. Pessoas com transtornos mentais ou doença mental continuam a serem prejudicados e discriminados em todas as áreas de suas vidas, desde onde encontrar um lugar para viver, encontrar um trabalho. Não é surpreendente que muitas pessoas com doença mental grave termine pobre ou sem teto. Cabe a todos nós tomarmos conhecimento do dano que provocamos com nossas atitudes negativas e nossa colaboração para isolá-los. Seja quem formos e seja o que fazemos, nós podemos combater os efeitos danosos do estigma estendendo nossa amizade, apoio e compreensão em vez do nosso julgamento e discriminação, para as pessoas que estão mentalmente doentes.
Fato ou Ficção?
1.
Ficção: Descrever pessoa com doença mental como “louco”, “esquisito”, “Pinel” “lunático”, o diminue como pessoa a não ser levada seriamente ou com a percepção que ele é perigoso pode excluí-lo das atividades do dia a dia.
Fato: Pessoas com doença mental necessitam nossa compaixão.
Rótulos como esses impedem a verdadeira compreensão
2.
Ficção. Muitas pessoas acreditam que doença mental é incurável. Eles podem até ver certos tratamentos, como com antidepressivos ou psicoterapias, como sem valor ou mesmo danosos, mesmo que em muitos casos tenham se mostrado efetivos.
 Fato: A doença mental é tratável e respondem favoravelmente ao tratamento médico ou outros tratamentos como tantas outras doenças somáticas. O problema do estigma da doença mental pode dificultar a pessoa que sofre, buscar ajuda e isso atrapalhar para que outros a auxiliem.
3.
 Ficção: Pessoas com doença mental são vistas, muitas vezes, como fracas, auto-indulgentes ou que guardam seus problemas para si mesmos. Mesmo as pessoas que sofrem de doença mental acreditam que eles são os culpados.
Fato: Pessoas com doença mental necessitam que você reconheça,que, eles são doentes da mesma maneira que o são pessoas com doenças físicas.
4.
Ficção: Pessoas com doença mental muitas vezes se sentem isoladas e deixadas de lado porque outras pessoas as acham difíceis de lidar ou de estar com eles Fato; A pessoa com doença mental necessita amizade e compreensão como qualquer outra pessoa.
5. O futuro.
Cientistas estão fazendo progressos no desvendamento da estrutura e química do cérebro. Como conseqüência nós temos melhor compreensão da mente e com ela funciona. Entretanto, a doença mental tem muitas causas. Ela não é apenas uma questão de química alterada.

Fonte: http://www.fenix.org.br/Desafiando_os_Preconceitos.pdf

Cartilha produzida pela ABBOTT Center em 2002







Didático e interessante

Além deste gibi, conheça também o site







http://www.fenix.org.br/

domingo, 1 de junho de 2014

Relato de 2/6/2014

Pintura de Claude Monet


Olá pessoal,

Eu não sumi, ok?
Tenho corrido muito e como as crises são ínfimas acabo me ausentando um pouco para não me tornar repetitiva. Quando digo "crises" nem sei se posso chamar assim... Na verdade são meros prenúncios de depressão, uma tristeza mais aguçada que em breve se esvai com fé, medicação e terapia.
Sei que não é sempre assim e nem estou aqui preconizando uma fórmula mágica ou menosprezando sintomas que sei que existem, apenas compartilhando meu momento atual e sinceramente desejando que ele dura minha vida inteira.
Ficar bem é tão maravilhoso, ainda que com todas as limitações que o T.A.B. + hipotireoidismo me impõem.
Um abraço a todos e até breve,

Teresa Azevedo
krika3@gmail.com

terça-feira, 6 de maio de 2014

Impaciência



 Impaciência

Onde podemos ir com nossa impaciência? Com certeza não onde pretendíamos chegar, mas o desequilíbrio provocado pelo T.A.B. e outros transtornos nos tornam impacientes, inseguros, inconstantes etc..


Texto extraído do livro “Espelhos & olhos” de Teresa Azevedo

Pintura de John William Godward

Ensurdeci



ENSURDECI


Convite pipocando no ar.
Bailar no encantamento,
rodopiar na emoção.
Entre pirilampos,
verdes campos,
borboletas azuis.
Estranhos modos,
montanha-russa,
brutos, pasmos,
condescendentes.
Ensurdeci aos gritos!
Fugi no adeus...

Texto de Teresa Azevedo extraído do livro” Poesia com Brandy” que pode ser adquirido no site www.clubedeautores.com.br

Pintura de Gustave Courbet

Eu







“Eu”

Fragmentada, imprevisível,
Inconstante, preguiçosa,
Eufórica, depressiva,
Indefinida, nítida,
Aqui para ser descoberta.
Oculta em medos por proteção.
Cantada, dançada, falida, cansada.
Em algum tempo: linear, fora de mim eu sei...
No espaço longínquo, quase inacessível.

Texto de Teresa Azevedo
Pintura de Júlio Romero de Torres