terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Exame periódico


Como nos anos anteriores me dirigi ao exame periódico imaginando passar por uma rápida consulta, onde paciente e médico se restringem ao protocolo cabível. Entretanto, fiquei surpresa ao contemplar com o mesmo médico que me atendeu em 2009, com frieza e rapidez. Hoje, ao contrário, a sua orientação com relação a minha obesidade resultou em um gostoso papo filosógico que bem poderia ser fruto de um café. Chamou-me a atenção para coisas que jamais tinha parado para pensar, levou-me a refletir e contou-me um pouco de si.
Interessantíssimo!
Desta vez reflitirei sobre o assunto cada vez que me assentar para comer.
Tão importante quanto a reflexão que fiz, é a constatação de que o momento em que vivemos, nossa maturidade e estabilidade emocional nos permite ouvir as mesmas recomendações de formas tão distintas.
Por esta e outras razões que hoje rendo louvores e glórias! Finalmente me estabilizei, de modo que as situações conflitantes, por difíceis que seja, são suportadas com tranquilidade e direção.
Amém!

2 comentários:

  1. Oi, você já respondeu?

    Bipolares do Brasil 2012, um projeto que você tem que participar! Essa é a primeira pesquisa nacional para levantamento do número de bipolares no Brasil. Sua participação é fundamental.
    Ajude a divulgar o projeto, junto a amigos e familiares, pode ser que existam pacientes entre seus amigos, e essa informação pode ser muito útil!

    O link para pesquisa pode ser encontrado na página do site http://www.bipolarbrasil.net

    Muito grato!

    Will Brasil - Estou certo do seu apoio nessa...

    ResponderExcluir
  2. CHE GUEVARA

    O látego do carrasco
    Deixou a mostra as veias abertas
    De uma América sem líderes,
    Cheia de ditadores patéticos
    E de déspotas obtusos,
    Promíscuos em suas salas de mármore.

    Há os que iludem com discursos
    E os que mentem sem palavras –
    Apoderam-se de mecanismos de tortura
    Para espalhar o pânico e o terror.

    A América se ergue com a sua mão direita
    Que, ensangüentada, deixa-se extinguir,
    Cambaleante cai sobre a perna esquerda,
    Em repetidos golpes...

    O guerrilheiro está morto!
    Seu idealismo se tornou sonho,
    O sonho transcreveu sua lenda,
    A lenda transformou-se em eternidade.

    A América de Guevara se perpetua,
    Em sua eterna busca
    Pelos verdadeiros líderes,
    Por sua total e plena liberdade.


    *Agamenon Troyan

    ResponderExcluir